A Lei do Desapego – Tome Cuidado

Hoje vou contar um dos maiores arrependimentos da minha vida, que vira e mexe eu fico remoendo, e isso me dói muito. Foi quando eu desperdicei, joguei fora, uma das paixões mais bonitas que eu poderia ter tido na minha vida.

Mais porque eu estou prestes a contar o quão babaca e idiota eu fui expondo isso na internet? Bom, não sei. Talvez porque eu seja corajoso e vou mostrar isso pra ele, mandando no inbox do facebook… ou porque ontem eu assisti um vídeo de um casal, na qual um deles, era a cara dele, e veio a bad, crise existencial, a vontade de ter mudado o passado… ai sabe quando dá aquela dorzinha de cotovelo com participação do remorso/arrependimento.

Vamos chama-lo de Rihanna, porque eu estava ouvindo ela agorinha.

Vamos voltar no ano de 2015, onde eu tinha me apaixonado, pela primeira vez, e tinha visto o que é gostar de verdade, se entregar de corpo e alma, e tomar no cu. Eu me ferrei legal, fui usado, inocente, inexperiente… meu mundo caiu quando essa minha primeira paixão avassaladora terminou, fiquei mal, fiquei bem ruim mesmo. Mas vida que segue.

Eis que baixo o Tinder. Dei match com um ser estranho, olhos delineados de preto, bem gótico, cabelos vermelhos, pele muito pálida, aquilo me intrigou e comecei a puxar assunto. Eis que descubro que morávamos praticamente no mesmo bairro. Conversa vai, conversa vem, marcamos de sair. Me lembro que o Rihanna tava de óculos escuros, no shopping, todo de preto, e eu todo normalzinho, me senti um pouco de et, mas ignorei. E depois fomos numa livraria, parque, lojas…. e conversamos muito, e vi que tínhamos muito mais em comum do que eu pensei, só um PS, ele ama True Blood, minha série favorita da vida.

Não vou entrar muito em detalhes do nosso primeiro encontro, eu só sei que eu me encantado. Pelo seu cheiro, abraço… tudo.

O Rihanna me ligava, corria atrás, nos víamos sempre, conversávamos por Skype sempre, fazia questão de me ver, fazia questão de tudo em relação a mim, e eu tinha lido aquela coisa da Lei do Desapego, que você podia pegar, mais não se apegar.

Pera ai. Cadê o sentido nisso? Hoje eu reconheço que eu fui um baita idiota certa forma ter brincado com os sentimentos do Rihanna, de quando estávamos juntos, eu era uma pessoa, e depois eu mudava, ignorava, não dava mais moral, atenção… era desapegado.

E nosso relacionamento – ah, nós não chegamos a namorar oficialmente, mas não beijávamos outras pessoas, inclusive tá ai, eu sempre tirava o Rihanna quando vinha com papo de relacionamento, justo eu que era tão romântico, voltando – e nosso relacionamento tinha aquela coisa da cumplicidade, da amizade.

Eu aprendi tantas coisas, o Rihanna também. Hoje o Rihanna se monta de drag queen. Eu que o apoiei, ensinei a andar de salto, íamos em brechós comprar roupas, sapatos… ai que saudades. Nós íamos pra cemitérios ficar juntinhos, no silêncio, abraçados, tirando fotos. Era bem coisa de adolescente, mas uma coisa tão fofa, saudável e tão amorzinho sabe.

O que me dói ainda mais, é saber que o Rihanna sofreu, chorou… e eu também, escondido, porque eu gostava, mais não demonstrava. Quando ele se mudou de cidade, a minha ficha caiu. Tinha acabado. Fiquei triste, muito triste mesmo, e quando eu ouço It Must Have Been loved do Roxette, me dá um aperto, porque essa era nossa música. Bom, pelo menos pra mim, porque é eu ouvir, vem o flashback todinho. Ou Sissy that Walk da Ru Paul. Ai que saudades da gente brincando de desfilar, dançar. Não tínhamos vergonha um do outro, já falamos isso um pro outro.

Tá, mais onde você que eu quero chegar com esse vídeo? Falar pra vocês, que se sentirem que uma pessoa gosta de verdade, que corre atrás, que liga pra você quase que diariamente, e você também gosta dela, não cai nessa de pegar e não se apegar não. Se apega, vive intensamente, se entrega de corpo e alma, e se não der certo… paciência. Pelo menos você não vai ficar como eu fico vira e mexe por todos esses anos, com a sensação de: eu deveria ter tentado, eu deveria ter me apegado mais, eu deveria ter me entregado, EU DEVERIA.

Não tem palavra mais pesada que o EU DEVERIA TER FEITO não. Se existe, desconheço. É uma mistura de remorso, com vontade de voltar no passado e mudar tudo.

Então amores, e você tem um Rihanna na vida de vocês, não o despreze, não o ignore. Se apega, vive cada momento juntos intensamente, porque pelo menos os momentos eu estava lá de corpo e alma, e disso sim, eu me lembro e me dá até uma vontade de chorar, porque foram um dos melhores momentos da minha vida. E olha que eu já passei por muita coisa viu?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s